Category Archives: Atividades

Para que(m) serve teu conhecimento? Críticas à EaD e ao Ensino Remoto

A Resistência Popular Estudantil, articulada em diversos núcleos distribuídos pelo país, produziu uma cartilha sobre Educação a Distância (EaD) e Ensino Remoto (ER).

O tema, que está sendo especialmente debatido neste contexto de pandemia, já vem se fazendo presente há anos, como parte de um projeto de precarização e privatização da educação para atender a demandas da classe dominante. Neste contexto de restrição de contato social, lançar mão dessa modalidade de ensino como solução para os problemas educacionais é um oportunismo que acelera o desmonte das escolas/universidades e aprofunda o abismo social, sendo portanto um risco à educação pública, gratuita e de qualidade, já que ameaça este direito para a população trabalhadora e pobre.

Através das implementações de EaD e ER temos presenciado a precarização do trabalho docente, distanciando a ação pedagógica de processos educativos significativos e privando nossas crianças e jovens do contato entre si e com profissionais da educação que apresentem uma formação coerente, contrária à mera reprodução de um sistema injusto e desigual. Quando a educação é pensada pelo lucro que ela oferece e não por sua qualidade, temos um sistema pedagógico voltado para a formação de mão de obra empresarial, moldada pelos interesses do mercado. O conhecimento deve servir aos produtores e não aos patrões.

Queremos contribuir com esse debate por isso produzimos esta cartilha que discute EaD e ER em diferentes eixos, do histórico ao político, na defesa da educação pública como parte fundamental da luta por uma vida digna para a classe trabalhadora. Convidamos todas e todos a acompanharem a live de lançamento da cartilha no dia 27 de julho de 2020 às 20h na página do facebook da Resistência Popular Estudantil do Rio de Janeiro (facebook.com/rperj).

LEIA A CARTILHA AQUI: Para que(m) serve teu conhecimento? Críticas à EaD e ao Ensino Remoto

Boletim de Junho/2020: Campanha de Luta por Vida Digna

No mês de junho, as ações da campanha incluíram a luta contra o genocídio do povo preto, pobre e periférico, com construção e participação em atos por todo o território nacional, além de ações de solidariedade, que também englobaram a questão da renda digna.

Lutar contra o racismo por vida digna!
Renda Digna pra enfrentar a pandemia e pela vida do povo!
NOSSA FORÇA MOVE O MUNDO, LUTAMOS POR VIDA DIGNA!

#nalutaporvidadigna

Se o seu coletivo, movimento ou associação quiser se somar à campanha, entre em contato com o Repórter Popular pelo WhatsApp (51 989606682), Facebook (https://www.facebook.com/reporterpop/) ou Instagram (http://www.instagram.com/reporterpopular).

28/05 | Movimento estudantil libertário na luta contra os cortes e a reforma

28 de maio | 19h | Sala 205 do EFI

No dia 15 de maio, estudantes e trabalhadoras da educação construíram uma forte Greve Nacional da Educação. Foram mais de um milhão de pessoas nas ruas de todo o país e muitas milhares tomando as ruas de Florianópolis. Na UFSC, as mobilizações são exemplo de que se inicia um novo momento de levante estudantil. Daqui pra frente, inclusive na greve geral de 14 de junho, precisamos fazer com que a brasa do dia 15 de maio vire uma enorme fogueira de arraiá! Afinal, é através da organização pela base e da ação direta que podemos derrotar o projeto de desmonte da educação pública e também de retirada de direitos, como o projeto da Reforma da Previdência!

A Coletiva Centospé convida todas e todos estudantes para uma conversa sobre como podemos atuar nas lutas de forma libertária através da organização coletiva. Atuamos na UFSC desde 2016, tendo por princípios: autonomia na luta social, autogestão e organização desde a base, anticapitalismo, combate às diferentes formas de opressões estruturais, ação direta, solidariedade de classe e autocrítica.

Vem trocar uma ideia com a gente, no dia 28 de maio às 19h, sobre as formas vencer os ataques dos de cima e avançar na luta por uma universidade popular!

LUTAR! CRIAR PODER POPULAR!

Mais fortes são os poderes do povo!

centospe@riseup.net

centospe.libertar.org

Filme “Chico” disponível no Porta Curtas

Em 23 de novembro de 2017 apresentamos o filme Chico, um curta-metragem dos Irmãos Carvalho, em uma de suas estreias, e articulamos uma roda de conversa sobre redução da maioridade penal e o racismo do sistema judiciário.

O filme vem sendo aclamado pela crítica e chegou a ser descrito enquanto um filme afrofuturista. Já recebeu diversos prêmios e agora concorre ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2018, estando disponível gratuitamente no Porta Curtas, junto a outros 58 curta-metragens que também concorrem ao prêmio.

Produção de cinema da periferia, o filme apresenta-se como um manifesto contra a redução da maioridade penal e o encarceramento em massa do povo negro. E é dos morros do Rio de Janeiro e da resistência das favelas cariocas que brota e floresce esta arte.

assista ao filme aqui.

 

30/05 | ATO EM DEFESA DAS/OS CAMINHONEIRAS/OS E PELA CONSTRUÇÃO DA GREVE GERAL

Chamamos todas e todos para um ato nesta quarta (30), com concentração no Largo da Catedral, Centro, às 15h.

– Todo apoio à greve das caminhoneiras e caminhoneiros!
– Pela mudança da política de preços da Petrobrás para baratear os combustíveis!
– Fora Pedro Parente e sua política de submissão ao mercado internacional e privatização da Petrobrás!
– Contra a repressão às greves e contra a Garantia de Lei e Ordem (GLO) exigida pelo Exército!
– Pela redução dos custos de vida de toda a classe trabalhadora!
– Pela Petrobrás 100% pública, a serviço do povo!
– Pela construção de uma Greve Geral por nenhum direito a menos!
– Contra intervenção militar, intervenção popular já!

É PELA BASE! É RADICAL! TRABALHADOR TEM QUE FAZER GREVE GERAL!

MAIS FORTES SÃO OS PODERES DO POVO!

Evento no Facebook

20/04 | Votação do PL das OS hoje!

Está prevista para hoje (20/04) a votação do Projeto de Lei das Organizações Sociais (OS), processo que foi acelerado pelos vereadores de Florianópolis e que possibilita o repasse do serviço público da cidade para empresas privadas. Concentração às 14:30 em frente à Câmara de Vereadores, no centro da cidade.

O povo estará nas ruas contra a privatização dos serviços!
GEAN ESQUECE, NÃO VAI TER OS!

15/03 | Luto e luta por Marielle!

A vereadora Marielle Franco (PSOL), do Rio de Janeiro, foi executada na noite de ontem (14/03). Nascida nas favelas da Maré e defensora dos direitos humanos, ela havia recentemente sido nomeada relatora de comissão que ia acompanhar a intervenção militar no RJ. Alguns dias atrás, havia também denunciado a ação brutal e truculenta da Polícia Militar na comunidade de Acari.

Marielle foi morta junto ao motorista, Anderson Pedro Gomes, e tinha acabado de sair de um evento político que participou, chamado “Mulheres Negras Movendo as Estruturas”.

Hoje, 17h, ato no Centro de Florianópolis, com concentração na Esquina Feminista, entre o Mercado Público e o Largo da Alfândega!

Luto e Luta por Marielle Franco!

https://www.facebook.com/events/245691279338038/

06/03 | FAMA 2018: Mulheres e a luta pela água

O Fórum Alternativo Mundial da Água – FAMA 2018 – acontecerá entre os dias 17 e 22 de março de 2018, em Brasília – DF. É um evento internacional, democrático e que pretende reunir mundialmente organizações e movimentos sociais que lutam em defesa da água como direito elementar à vida.

Este Fórum pretende unificar a luta contra a tentativa das grandes corporações em transformar a água em uma mercadoria, privatizando as reservas e fontes naturais de água, tentando transformar este direito em um recurso inalcançável para muitas populações, que, com isso, sofrem exclusão social, pobreza e se vêm envolvidas em conflitos e guerras de todo o tipo.

Este  Fórum  se  contrapõe ao  autodenominado “Fórum Mundial da Água” que é um encontro promovido pelos grandes grupos econômicos que defendem a privatização das fontes naturais e dos serviços públicos de água.

Para os organizadores do “Fórum Alternativo – FAMA2018”,  as políticas públicas de água devem ser debatidas democraticamente com as populações e, em particular, com as comunidades afetadas.

No FAMA 2018 serão debatidos os temas centrais de defesa pública e controle social das fontes de  água, o acesso democrático à água, a luta contra as privatizações dos mananciais, as barragens e em defesa dos povos atingidos, serviços  públicos de água e saneamento e as políticas  públicas necessárias para o controle social do uso da água e preservação ambiental, que garanta o ciclo natural da água em todo o planeta.

A desigualdade de gênero também sofre o impacto da falta de acesso à água. A escassez e má distribuição leva mulheres a percorrerem longas e íngremes distâncias para obter água.

Então, para somar nas atividades da semana de 8 de março, e continuar contruindo e fortalecendo a construção do FAMA em Santa Catarina, realizaremos um debate sobre o tema “Mulheres e a luta pela água”, seguido pelo planejamento das atividades do FAMA em Florianópolis.

Este encontro acontecerá na próxima terça-feira, 6 de março, às 18:30h, no SINTESPE: Praça Olívio Amorim, 82 – Centro – Florianópolis – SC.

“Água é um direito, não mercadoria”
Comitê Santa Catarina do FAMA 2018

Amanhã é dia de fazer greve e tomar as ruas contra a Reforma da Previdência

O Governo Temer ainda não conseguiu os votos necessários para a reforma da previdência, mas também não desistiu de destruir nosso futuro. Precisamos de um forte dia de greves e ações nas ruas para derrotar a reforma. Além disso, a intervenção militar no Rio de Janeiro indica uma alarmante disposição do Governo em subir o nível da repressão e consolidar o Estado de Exceção que já vigora nas periferias em todo o país. Tomar as ruas, nesse momento, é também demonstrar capacidade de resistência contra o avanço autoritário, que busca garantir o ajuste neoliberal a qualquer custo!

Aqui na cidade, o transporte público estará paralisado durante toda a segunda-feira e diversas outras categorias estarão em greve. Nós, como parte do movimento estudantil e da classe trabalhadora, estaremos nas ruas ao lado dos movimentos sociais, em total apoio às categorias que ousam lutar.

Nesse Dia Nacional de Greves, Paralisações e Protestos (segunda, 19/02), convidamos todas e todos para somar nas ações contra a Reforma da Previdência, incluindo:

– 9h em diante: concentração na Praça das Lutas (ao lado do TICEN) e ações no Centro da cidade
– 16h: ato público com saída no TICEN

MAIS FORTES SÃO OS PODERES DO POVO!

Exibição do filme “Acampamento Marcelino Chiarello: A terra que alimenta a resistência”

No dia 12 de dezembro, próxima terça feira, será exibido o documentário “Acampamento Marcelino Chiarello: A terra que alimenta a resistência”.

O filme, retrata a construção do acampamento Marcelino Chiarello, localizado entre os municípios de Xanxerê e Faxinal dos Guedes. O documentário foi produzido na região considerado berço do MST em Santa Catarina, um marco histórico do maior movimento social da América Latina. O objetivo dessa produção é trazer a narrativa na fase embrionária do acampamento, 31 anos depois da primeira ocupação no estado. A partir do processo de construção, o documentário retrata, sem olhares etnocêntricos, as condições de vida, ideais, relação de trabalho e a forma como esses trabalhadores rurais reivindicam as terras para produzir e viver.

Direção: Amanda Ferronato, Angélica Dezem, Darlei Luan Lottermann, Jaqueline Dutra Kornfüehrer, Maria Joana Weber Giareton e Marina Folle Schielke
Orientação: Ilka Margot Goldschmidt Vitorino
Realização: Laboratório de TV e Cinema – Unochapecó

– Após a exibição será aberto espaço para conversa e discussão, abordando o despejo violento vivido pela comunidade no último dia 29.

Segue a matéria
“No dia 29 de novimebro, as 180 famílias que viviam no acampamento há quase dois anos, foram despejadas, com uma ação da Polícia Militar, com tropa de choque e cavalaria, cumprindo a liminar da juíza da 1ª Vara de Chapecó.

Mas, as famílias Sem Terra despejadas do Acampamento Marcelino Chiarello seguem resistindo. Organizadas solidariamente no ginásio de Faxinal dos Guedes/SC, mas também articulados para dialogar desde com prefeitura até com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) Nacional. O MST organizou neste dia 1 ato em solidariedade as famílias.

A área ocupada pelas famílias é pública, do Incra. Na década de 1980, o Estado Brasileiro expulsou os agricultores que moravam ali e repassou as terras para o fazendeiro, mas para o título da terra ser dele era preciso pagar e ele nunca o fez. Por isso, as terras voltaram a ser propriedade do Incra. “Por este motivo as famílias ocuparam a área. Mesmo assim, a juíza mandou despejar as famílias Sem Terra, sem oficializar a ordem com antecedência e sem dar o direito de defesa judicialmente”, afirma Vilson Santin, da direção do MST.”

Reportagem na íntegra: http://www.mst.org.br/2017/12/03/em-santa-catarina-acampamento-marcelino-chiarello-resiste.html

Link do evento para mais informações: https://www.facebook.com/events/130989997679161/

capa