Por uma disputa anticolonial da universidade

Contribuição da Resistência Popular Estudantil – Floripa para o Repórter Popular.

No mês de novembro, a Campanha de Luta por Vida Digna deu foco nos eixos relacionados aos povos originários, populações tradicionais e luta pela terra. Além disso, vivemos um doloroso mês da Consciência Negra, onde prosseguiu a marcha fúnebre colonial que marca nossa história, mas também vivemos a luta e a revolta antirracista nas ruas.

Para nós, que estamos nas universidades e no movimento estudantil, as tarefas vão além de marcar as datas e participar das manifestações. Por um lado, é tarefa coletiva a luta por acesso e permanência, pensando na ampliação das ações afirmativas, nas bolsas, garantia de moradia, alimentação; assim como o combate ao racismo institucional, praticado especialmente por professores em sua relação de poder nas salas de aula, laboratórios e escritórios. Porém, também é fundamental repensar o projeto de Universidade que queremos: seu currículo, sua função social, seus procedimentos internos.

O movimento estudantil brasileiro, em geral, tem debatido concepção de universidade a partir de autores que são homens cis brancos. Apesar do olhar crítico e das importantes contribuições de pessoas como Álvaro Vieira Pinto (A questão da universidade), Darcy Ribeiro (A universidade necessária), ou Maurício Tragtenberg (A delinquência acadêmica), acreditamos que as lutas anticoloniais de ontem e de hoje possuem enorme potencial para aprofundar nossos debates, junto com a contribuição de intelectuais negras e indígenas que estão também refletindo sobre educação e universidade. Além disso, estudantes brancas também têm responsabilidade e compromisso com esse aprendizado e com a difusão das críticas e reivindicações aí formuladas.

Por isso, selecionamos abaixo um conjunto de fontes e referências para tornar nossas lutas do movimento estudantil mais negras e indígenas! Elas tratam de diferentes temas como pesquisa, a educação básica e a universidade.

Articulação Brasileira de Indígenas Antropóloges (ABIA)

Facebook: https://www.facebook.com/abia.indigena/

Instagram: @abia.indigena

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCWjIM_IkldS72P_wFNbfetA

Articulação Brasileira dos(as) Indígenas Psicológos(as) (ABIPSI)

Instagram: https://www.instagram.com/abipsi_/

Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) (ABPN)

Site: https://www.abpn.org.br/

Instagram: https://www.instagram.com/contatoabpn

Facebook: https://www.facebook.com/abpn.org.br

Associação de Educadores Negras/es/os de Santa Catarina (AENSC)

Site: https://associacaoensc.wixsite.com/ensc

Facebook: https://www.facebook.com/associacaoensc/

Livro “Povos indígenas e sustentabilidade: saberes e práticas interculturais nas universidades”

Recomendamos, em especial, o capítulo “O papel da universidade sob a ótica dos povos e acadêmicos indígenas”: http://flacso.redelivre.org.br/files/2012/07/361.pdf

Parecer sobre o título de Doutora Honoris Causa para Carolina Maria de Jesus – Prof. Wallace de Moraes (UFRJ)

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=B6UcedcUTrY

III Seminário de Ações Afirmativas do PPGAS/UFSC | Ações afirmativas e o Covid-19: desafios da permanência e produção de conhecimento na pandemia

Site e vídeo das mesas: https://afirmativas.wixsite.com/eventoacppgasufsc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *